RSS

Arquivo da tag: Atualidades

Pesquisadora Elaine Bordalo, do CPA/RJ, lança livro

Acaba de ser publicado, pelo Grupo Editorial Scortecci, um livro que trata de um assunto ainda pouco pesquisado, mas muito instigante e que envolve História Antiga e Direito.

Delitos Contra A Divindade No Mundo Antigo é um livro que propõe uma viagem ao período Pré-Clássico na Babilônia de Hammurabi e ao período bíblico do Antigo Testamento com o profeta Moisés. Uma análise comparativa dos códigos de Hammurabi e de Moisés com intuito de trazer à discussão questões que envolviam o roubo ao “Sagrado”.

A autora Elaine Bordalo, historiadora, especialista em História Antiga e Medieval pela Faculdade São Bento/RJ e Pós-Graduanda em Arqueologia, História e Sociedade pela Universidade de Santo Amaro, pesquisadora da História do Antigo Israel e membro do Centro de Pesquisas da Antiguidade (CPA/RJ) tratou o tema com seriedade buscando na historiografia e em fontes históricas a argumentação necessária para fundamentar a pesquisa. Esta poderá abrir novos questionamentos sobre a política e a religião no Antigo Oriente Próximo.

Com prefácio do Professor Doutor em Filosofia Victor Sales Pinheiro, Delitos Contra A Divindade No Mundo Antigo é um livro que vale a pena conferir!

O livro já se encontra disponível no site da Livraria Virtual Asabeça:

http://www.asabeca.com.br/detalhes.php?prod=6654&friurl=_-DELITOS-CONTRA-A-DIVINDADE-NO-MUNDO-ANTIGO–Elaine-Bordalo-_&kb=884#.UrI5HOl3vIU

Livro Elaine

Anúncios
 

Tags: , , , , , ,

O CPA/RJ te leva: Museu Histórico da Fazenda das Posses

Réplica da Fazenda das Posses 1904 Fonte: Acervo pessoal

Réplica da Fazenda das Posses 1904
Fonte: Acervo pessoal

Repleto de objetos, como: louças, bomba de gasolina, máquina de lavar, trajes de vestuário, moedas, etc., de várias décadas do século XX. O acervo do Museu é bem diversificado, com ambientes montados que demonstram uma casa de colono, do começo do século passado.

O Museu Histórico da Fazenda das Posses é um Patrimônio Material que retrata bem a colonização holandesa na região. Um ponto turístico, cultural e histórico que vale a visita.

Diversas peças do acervo. Fonte: Acervo pessoal

Diversas peças do acervo.
Fonte: Acervo pessoal

Máquina de lavar de 1962. Fonte: Acervo pessoal

Máquina de lavar de 1962.
Fonte: Acervo pessoal

O Museu está localizado ao lado do Ginásio de Esportes, da Cooperativa de Campos de Holambra, no estado de São Paulo. A visita é gratuita, mas ela deve ser agendada pelo telefone (014) 9787-4760, com o Sr. Antônius Eltink.

Bomba de gasolina (datada de metade do século XX). Fonte: Acervo pessoal

Bomba de gasolina (datada de metade do século XX).
Fonte: Acervo pessoal

 

 

Tags: , , , , ,

Indiana Jones… Que nada, arqueólogo brasileiro

“O esforço do arqueólogo traz consigo, além do suor, a possibilidade de apoderar-se da história real indo em busca do cansaço e da exploração”

Pedro P. A. Funari[1]

No imaginário humano de muitas pessoas, habitam seres capazes de decifrar mistérios e enigmas. Essas criaturas possuem sua indumentária própria, e acredita-se que observem muito, que falem pouco e tenham hábitos excêntricos. E prefiram estar em lugares inóspitos, cercados por todos os tipos de perigos; desde insetos venenosos até os mais sinistros monstros criados pelo medo, claro que esses seletos seres são vistos ao final, como numa visão hollywoodiana; em meio a muita fumaça, saindo de uma caverna subterrânea, eis que surge a figura corajosa do desbravador, carregada de descobertas valiosas do passado. Mas será essa a vida do arqueólogo?

As áreas escolhidas pelos arqueólogos brasileiros em geral são na arqueologia histórica e na pré-histórica, e seus campos de atuação podem ser o acadêmico, trabalhando diretamente na produção do conhecimento, em museus e instituições culturais na educação patrimonial, o arqueólogo pode ainda trabalhar também em consultoria, como na arqueologia de contrato. (FUNARI, 2012, p. 112).

O trabalho do arqueólogo é sem dúvida complexo, pois as metodologias devem ser utilizadas conforme as diversas características, que variam também de acordo com a cultura local e contemporânea. Por exemplo, dependendo do lugar, os desenterramentos de corpos, ou mesmo transitar em cemitérios passa, a ser uma atividade impossível.

As etapas do trabalho arqueológico, que consiste em antes do campo com todo o planejamento, no campo com a escavação e levantamento de todo o contexto arqueológico e pós-campo com a identificação, armazenamento e publicação de informações, deve ser sistemático e de acordo com as condições apresentadas. Visto que quando o arqueólogo é contratado por uma empresa, dentro de uma arqueologia de contrato, tempo é um fator determinante. Além do cuidado, para não acabar vinculado aos interesses do seu contratante.

Quanto à educação patrimonial há ainda um vasto campo de atuação a ser preenchido por arqueólogos, nas instituições que regularizam o patrimônio e mesmo em museus. Há um grande número de museus brasileiros, mas que trate da temática arqueológica esse número ainda é bastante reduzido. Espera-se que haja fomento nestas áreas, pois há no Brasil um grande potencial de material arqueológico a ser exposto, pesquisado e publicado. Ou seja, há sem dúvida, muito trabalho para os futuros arqueólogos.

Essa profissão não regulamentada, com poucos cursos de mestrado, doutorado e especialização, oferecidos em nosso país, faz do arqueólogo um profissional desbravador. Com empresas de arqueologia, ou prestando serviços nelas, o arqueólogo é um profissional que viaja e trabalha conforme as condições apresentadas.

Mesmo que o arqueólogo decida a permanecer nas universidades, o número reduzido de cursos limitam suas possibilidades de ministrar aulas. E a aproximação com a cultura material também tem seus obstáculos, pois dependem de uma infinidade de avaliações deste profissional.

Concluindo, diante de tantas dificuldades, que passam pelo imprescindível diálogo com outras ciências, pela necessária regulamentação que fixem as condições não apenas do arqueólogo, mas do trabalho em si.  Isto é, o auxilio de uma legislação voltada para arqueologia. Com tudo isto, percebemos que o arqueólogo é sim, um profissional aventureiro, pois mesmo em meio a todo tipo de circunstância, ele emerge das areias do tempo, coberto muitas vezes de lama, mas gratificado sempre pelo seu achado arqueológico.

Imagem 1- Museu Navio Franco de Godoy - Mogi-Guaçu/SP. Imagem 2 – Sítio Escola (Arqueologia) Franco de Godoy – Mogi-Guaçu/SP. Dois lugares reservados para o aprendizado da Arqueologia. Fonte: Acervo pessoal

Imagem 1- Museu Navio Franco de Godoy – Mogi-Guaçu/SP.
Imagem 2 – Sítio Escola (Arqueologia) Franco de Godoy – Mogi-Guaçu/SP.
Dois lugares reservados para o aprendizado da Arqueologia.
Fonte: Acervo pessoal

Referências Bibliográficas

CHILDE, G. V. Para uma recuperação do passado: a interpretação dos dados arqueológicos. São Paulo: DIFEL, Difusão Editorial, 1969.

DREWETT, P. Field Archaeology. An Introduction. London: UCL Press, 1999.

FLORENZANO, T. G. Imagens de Satélite Para Estudos Ambientais. São Paulo: Oficina de Textos, 2002.

FUNARI, Pedro Paulo. A Arqueologia. 3.Ed.  São Paulo: Contexto, 2012.

MCINTOSH, J. Guía práctica de arqueología. Madrid: Hermann Blume, 1987.

MOBERG, C-A. Introdução à Arqueologia. Lisboa: Edições 70, 1981.

TRIGGER, B. G. História do Pensamento Arqueológico. Trad. Ordep Trindade Serra. São Paulo: Odysseus Editora, 2004.


[1] FUNARI, Pedro Paulo. 2012, p. 56.

 

Tags: , , , ,

Arqueólogos descobrem adega de 3.700 anos

Arqueólogos da Universidade George Washington fizeram uma grande descoberta ao escavar uma região ao norte de Israel, conhecida como Canaã. Lá, eles desencavaram 40 jarras de vinho bem preservadas que datavam de 3.700 anos atrás.

“Esses provavelmente não eram os vinhos correntes, do dia a dia. Provavelmente eram caros. Talvez tenham sido usados por um rei”, aponta o professor Eric Cline, um dos diretores da escavação. Os jarros foram encontrados em uma sala que aparentemente era usada como adega e análises químicas mostram que vinho era guardado lá, provavelmente um lote real, caracterizado por uma impressionante padronização de ingredientes nas jarras de 50 litros.

Segundo os historiadores, essa é a mais antiga adega descoberta, já que jarras de vinhos encontradas em escavações mais antigas não parecem estar vinculadas a um lugar de consumo próximo. O palácio da cidade de Tel Kabri foi usado até 1700 a.C e, diferentemente das outras ruínas mundo afora, o lugar da estocagem de vinhos estava claramente ligado à sala de jantar.

A adega cananeia dá pistas da evolução da produção de vinho e do consumo pela alta sociedade da época. Os cananeus provavelmente já produziam vinho desde 5.000 a.C e trouxeram vinhas do Egito através do Mediterâneo para o sul da Europa. Análises químicas revelaram certos compostos em algumas jarras, sugerindo a presença de mel, menta, canela, zimbro e resinas de árvores, mostrando que o vinho era aromatizado.

Fonte: UOL – http://revistaadega.uol.com.br/artigo/arqueologos-descobrem-adega-de-3700-anos_9593.html

 
Deixe um comentário

Publicado por em 29/11/2013 em ARQUEOLOGIA, HISTÓRIA ANTIGA

 

Tags: , , , ,

Cinco cabeças de estátuas faraônicas são descobertas no Egito

Uma equipe de arqueólogos egípcios e franceses descobriu cinco cabeças de estátuas de faraós do Egito ao sul de Luxor, anunciou neste sábado o Ministério das Antiguidades.

“As cabeças de estátuas descobertas possuem coroas do Alto e Baixo Egito esculpidas em calcário”, afirmou o ministro das Antiguidades, Mohamed Ibrahim.

O chefe do Departamento de Antiguidades Faraônicas, Mohamed Abdel Maqsud, informou que cada uma das cabeças, incluindo a coroa, mede 50 centímetros e indicou que essas estátuas datam da época do Império Médio egípcio, fundado há cerca de 4.000 anos.

Maqsud acrescentou que, atualmente, os especialistas estão estudando essas cabeças para determinar se pertencem a estátuas que foram encontradas decapitadas há vários anos.

Fonte: UOL – http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/afp/2013/11/16/cinco-cabecas-de-estatuas-faraonicas-sao-descobertas-no-egito.htm

 
Deixe um comentário

Publicado por em 16/11/2013 em ARQUEOLOGIA, HISTÓRIA ANTIGA

 

Tags: , , , ,

Fique por dentro!

 

Tags: , , , , ,

Agenda Cultural!

Curso a Distância: “A HISTÓRIA DO POVO JUDEU NA ÉPOCA DO SEGUNDO TEMPLO”

Professor: Dr. Adolfo Roitman, Curador dos Manuscritos do Mar Morto e Diretor do Santuário do Livro

Início: 4 de Março 2013 Duração: 9 semanas

Modalidade de estudo: aulas à distância, incluindo foro semanal coordenado pelo Prof. Dr. Roitman e duas aulas ao vivo. Mais de 300 páginas em português incluindo documentos e textos históricos.

Com Certificado do Centro Melton da Universidade Hebraica de Jerusalém

Valor do curso: U$ 395

Para maiores informações: falecom@centroculturaljerusalem.com.br

Criativa Social

Oferece em Fevereiro /2013 curso para especialização intensiva:

CURSO DE FÉRIAS:

LEIS DE INCENTIVO À CULTURA

APRESENTAÇÃO:

A CRIATIVA é uma empresa especializada no desenvolvimento e gestão de projetos nas áreas: social, cultural, ambiental, esportiva e organização de eventos.

Professora: M.Sc Sandra Helena Pedroso

Mestre em Sistema de Gestão de Projetos com foco em Responsabilidade Social pela UFF e bacharel em Ciências Contábeis. Diretora do Ateliê de Cultura e do Instituto Pro3. Nos últimos 32 anos exerceu diversas funções na área cultural e no cinema, tendo inclusive sido Coordenadora de Certificação da Lei Estadual de Incentivo à Cultura e da Ancine. Atualmente atua como professora de Gestão Financeira na pós-graduação de Produção Cultural da UCAM entre outras instituições. E como consultora em Gestão de Projetos em diversas empresas. É Diretora da ABCR.

Data, Local e Horário:

BQ Centro de Treinamento

Rua São José, 40 – Centro – Rio de Janeiro.

Dia: 19 de Fevereiro de 2013 (Leis de Incentivo à Cultura).

Horário: 09:30 às 17:30

Objetivo do Curso:

Desenvolver competências para que os participantes possam aplicar as ferramentas de gestão para sistematização de idéias em projetos artísitico-culturais, de forma a viabilizar sua produção e buscar apoios, patrocínios e financiamentos.

Programa:

1. O que e quais são os incentivos fiscais para projetos culturais e audiovisuais

2. Incentivos fiscais federais e doações:

2.1 Projetos culturais utilizando a Lei Rouanet;

2.2 Projetos culturais utilizando o ICMS/RJ;

2.3 Projetos culturais utilizando o ISS/RJ.

Inscrições e Contato:

Telefones: (21) 3979-5472 / (21) 3437-1160

e-mail: contato@criativasocial.com

www.criativasocial.com

Investimento:

Um 1 módulo por – R$ 280,00.

 
 

Tags: , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: